segunda-feira, 17 de julho de 2017

SP: Novo associado: João Paulo Hergesel

JOÃO PAULO HERGESEL

1) Fale um pouco sobre o começo do seu trabalho com LIJ.
Sou um curioso nato. Gosto muito de experimentar. E foi experimentando romances juvenis durante a adolescência que senti algo despertando em mim: era a necessidade de dialogar com pessoas da minha idade. Conforme fui ficando mais velho, veio a vontade de falar com os que eram mais novos. E assim me tornei um adulto que passa mais tempo no universo infantojuvenil do que naquele em que a sociedade espera que eu viva.

2) Três livros seus para quem não te conhece.
O primeiro certamente é Anilina, ziguezague e Désirée (Editora Patuá, 2011), que foi o meu marco inicial. Trata-se de uma antologia de contos juvenis que reúne desde histórias de ficção realista (o garoto que odeia o próprio nome; a garota que se apaixona pela própria sombra; o rapaz que desconhece a cor dos próprios olhos) a realismo mágico (o mimeógrafo com depressão; o gato que preside uma empresa; a personagem que sai do livro para brigar com o autor).
O segundo é Um gato caolho do rabo comprido (Jogo de Palavras, 2013), com seis contos infantojuvenis que ganharam prêmio pelo conjunto. São releituras de contos de fadas clássicos narradas pela visão caolha de um gato de rua: um patinho lindo que faz de tudo para conquistar sua grande paixão; três cachinhos dourados que precisam se livrar de um urso malvado; carros alegóricos de soldadinho e bailarina que querem desfilar juntos no carnaval; dentre outros episódios.
O terceiro é a minha obra mais recente, Como calar a boca de um dragão (Jogo de Palavras, 2017). Premiada no Concurso Monteiro Lobato de Contos Infantis em 2012, é a história de uma princesa adolescente que se aborrece com os resmungos do dragão que mora nos fundos do palácio e tenta encontrar uma forma de acabar com isso. Publicar essa obra foi tarefa difícil: precisei fazer edições em ilustrações de domínio público, com traço a lápis, em preto e branco – foi o caminho encontrado para viabilizar uma publicação independente sem que o preço final do produto ficasse inacessível.
  
3) Quais os seus planos para os próximos cinco anos?
Estou com um livro em editoração, Criaturas de Linguagem (Fragmentos, 2017?), e organizando uma antologia com outros cinco escritores paulistas de até 25 anos de idade, O parque (Jogo de Palavras, 2017?). Também segue em andamento o projeto Garoto com Gato, patrocinado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, que resultará em um romance juvenil inédito, ainda sem título definido. Tenho me arriscado também na produção de roteiros, tendo criado alguns curtas-metragens e uma série juvenil chamada RevoltZ, exclusivamente para a produtora Telemilênio, que me permitiu colaborar na roteirização de algumas webséries. Sigo apresentando originais a editoras, participando de concursos literários e fechando parcerias para produções independentes, além de expandir meu projeto de realizar encontros literários gratuitos em escolas públicas. Ah, e também desejo terminar o doutorado!

Mais informações em http://escritorjp.blogspot.com.br/

Foto: Rafaela Lopes

terça-feira, 4 de julho de 2017

BR: Nova diretoria da AEILIJ (2017-2019)


Presidente: Alexandre de Castro Gomes
Vice-Presidente: Andrea Viviana Taubman
Secretária: Patrícia Melo
Tesoureiro: Flávio Dana

BR: Homenagens da AEILIJ no Salão FNLIJ 2017

Esse ano a diretoria da AEILIJ decidiu homenagear seis autores por sua contribuição à literatura infantil e juvenil brasileira. Dois deles, Flávia Savary e Jô Oliveira, foram homenageados pelos mais de 40 anos dedicados à LIJ. Os outros quatro são os ex-presidentes da associação: Rogério Andrade Barbosa, Luiz Antonio Aguiar, Anna Claudia Ramos e Sandra Pina. Junto com suas diretorias, cada um contribuiu para que fôssemos o que somos hoje. Uma entidade admirada no Brasil inteiro, reconhecida pelo MEC pela defesa ferrenha dos direitos dos autores e respeitada por outras entidades do livro e da leitura, por jornalistas e editores.

A cerimônia aconteceu durante a última assembleia da AEILIJ, durante o Salão FNLIJ 2017. Seguem fotos.




















BR: Fotos do lançamento de "Histórias no prato"

Fotos do lançamento de "Histórias no prato", durante o Salão FNLIJ 2017.

















BR: Histórias no prato

Editora: AEILIJ
Categoria: Antologia de contos infantojuvenis
1ª edição: 2017
Encadernação: Digital via ISSUU
Formato: 16x23 | 140 páginas
Organização: Cristina Villaça
Diagramação, projeto gráfico e vinhetas: Varal Editorial (Patrícia Melo e Fabio Maciel)
Revisão: Flávia Côrtes
Ilustração da capa: Marilia Pirillo
Edição: Alexandre de Castro Gomes



A segunda antologia da AEILIJ traz contos saborosos, acompanhados das receitas que marcaram as vidas dos autores. Separe a louça de festa, e tenha guardanapos à mão. A boca vai aguar. São vinte histórias criadas e ilustradas especialmente para esta coletânea. A cada história, uma ilustração e uma receita.
O livro está disponível para leitura e download em https://issuu.com/aeilij/docs/historiasnoprato_aeilij.
Para conhecer as outras publicações virtuais da AEILIJ, clique em https://issuu.com/aeilij.
Com este livro, a AEILIJ, Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil, realiza mais uma vez o intercâmbio entre escritores e ilustradores do segmento. Temos aqui autores experientes, atuantes em nossa associação desde o princípio, e autores iniciantes. Uma verdadeira confraternização literária!
São eles: Alexandre de Castro Gomes, Alina Perlman, Ana Rapha Nunes, André Flauzino, Angela Leite de Souza, Anna Rennhack, Cris Alhadeff, Cristina Villaça, Dailza Ribeiro, Edna Bueno, Eleonora Medeiros, Fabio Maciel, Felipe Campos, Felipe Vellozo, Gabriel Lacerda, JPVeiga, Laerte Silvino, Lilian Guinski, Luciana Nabuco, Luciana Peralva, Márcia Széliga, Maria Elaine Altoe, Marilia Pirillo, Maurício Veneza, Neide Graça, Nireuda Longobardi, Patrícia Melo, Renata Goulart, Sandra Ronca, Simone Mota e Sol Mendonça.

MG: Novo associado: Henrique de Almeida Barbosa do Vale

HENRIQUE DE ALMEIDA BARBOSA DO VALE

1) Fale um pouco sobre o começo do seu trabalho com LIJ.
Comecei a escrever literatura infantil há uns quatro anos, quando li e me encantei com alguns livros infantis que minha esposa (ela é bibliotecária) trazia da escola para preparar atividades de leitura.  Uma das primeiras histórias que escrevi foi Capitão Barbante, que conta sobre um boneco de jornal que ganha vida, e foi inspirado numa brincadeira de infância. Esta obra foi enviado para umas vinte editoras. Quase um ano depois recebi resposta da Editora Compor aceitando o texto, mas deveria simplificar o vocabulário. Isso me deu ânimo para continuar escrevendo (estava quase desistindo) e também ensinou uma valiosa lição sobre adequar o vocabulário para a faixa etária.

2) Três livros seus para quem não te conhece.
1- Capitão Barbante (Editora Compor) - conta a história de um pirata de jornal que busca o barco perdido. 
2- Vamos apostar corrida? (Editora Bambolê) - uma releitura mais abrasileirada do conto norte-americano "The Gingerbread Man", mas nessa versão o doce é de pé-de-moleque e ganha vida por obra do Saci Pererê.
3- Úrsula e o urso polar (CEPE) - conta a história de Úrsula, uma menina que encontra um picolé, mas descobre que é um ovo e dentro se esconde um ursinho polar.
  
3) Quais os seus planos para os próximos cinco anos?
Meu plano para os próximos cinco anos é ter filhos e continuar escrevendo para crianças. 


Foto: Arquivo pessoal

sexta-feira, 16 de junho de 2017

BR: Carta aberta da AEILIJ em defesa da obra de José Mauro Brant

A Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ) vem se posicionar publicamente contra qualquer tipo de censura à criação literária e ressaltar a importância do resgate e da difusão dos contos populares e de encantamento – material primordial para a preservação da cultura popular e matéria-prima para a produção de literatura de qualidade para as crianças e os jovens leitores.

A AEILIJ defende também a realização de um amplo trabalho de qualificação e preparação de professores e mediadores de leitura, dando-lhes confiança e embasamento para que possam trabalhar e usufruir de todo este rico material junto aos seus alunos e leitores.

A Associação ressalta ainda que aprova irrestritamente o trabalho de reconto realizado pelo escritor, ator e contador de histórias José Mauro Brant em seu livro “Enquanto o sono não vem” e entende que nada nesta referida obra justifica seu recolhimento do acervo das escolas brasileiras.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

BR: Convocação para a Assembléia Geral Ordinária da AEILIJ

Segue a publicação com a convocação para a Assembléia Geral Ordinária da AEILIJ. Achei melhor deixar para conhecerem os homenageados na hora.

Clique na imagem para aumentar.

Aguardo todos.

Um abraço!
Alex


sexta-feira, 2 de junho de 2017

BR: Votação para a nova Diretoria

Desde ontem até o dia 15/06, estamos recebendo os votos de associados para a nova Diretoria da AEILIJ.

Somente uma chapa se apresentou para a eleição. A chapa LIJ é composta por Alexandre de Castro Gomes (presidente), Andrea Viviana Taubman (vice-presidente), Flávio Dana (tesoureiro) e Patrícia Melo (secretária).

Precisamos ratificar o pleito.

Sendo assim, pedimos que envie um e-mail para voto@aeilij.org.br com a palavra sim, se desejar apoiar esta nova chapa, ou não, se preferir outra opção.

Viva a LIJ!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

BR: Chapa inscrita para as eleições da nova diretoria

O prazo para a apresentação das chapas para a eleição da nova diretoria da AEILIJ se encerrou. Somente uma chapa se inscreveu. Embora seja chapa única, a votação é necessária e acontecerá no início do mês que vem. Explicaremos como isso será feito mais adiante.

Viva a LIJ!


BR: Escritores e Ilustradores da II Coletânea de Contos!

É com orgulho que a Cristina Villaça e eu apresentamos a relação dos escritores e ilustradores que estarão na nossa próxima coletânea de contos.

As histórias nos deram uma fome danada!




terça-feira, 18 de abril de 2017

BR: Anuidade e Plano de Saúde

Queridos colegas,
hoje comemoramos mais um Dia Nacional do Livro Infantil.
Nosso setor é um dos mais afetados pela crise que o Brasil enfrenta, motivo pelo qual precisamos nos unir cada vez mais e formar mais e mais parcerias sólidas, que possam beneficiar a todos os envolvidos, mas, principalmente, que nos ajudem a manter acesa a chama da nossa vocação e do nosso compromisso com a infância e adolescência no campo da LIJ.
Estamos finalizando o processo de transferência da sede da AEILIJ para trazê-la de volta para o Rio de Janeiro. Como foi explicado na última Assembleia, os trâmites para esse fim são demorados e caros. Por isso fazemos um chamamento neste momento, para que todos os que puderem pagar a anuidade de 2017, o façam.
Até 30 de junho, como no ano passado, estamos concedendo o desconto de 50% do valor de 2017 (integral = R$220,00; até 30/6 = R$110,00) para os companheiros que estiverem em dia com as anuidades de 2015 e 2016 (houve anistia de 2014 para trás).
Quem estiver com alguma dúvida sobre sua situação, peço que me envie email solicitando informações com o título ANUIDADE AEILIJ - CONSULTA.
Temos preferido a modalidade depósito ou transferência em vez do boleto, porque geram-se custos adicionais no ato da emissão e não no ato do pagamento.
Para efetuar depósito/transferência, seguem as informações:
AEILIJ - Bradesco - ag. 0472 cc 044758-7 CNPJ 03374569/0001-05). Após quitação, passar o comprovante para o email da tesouraria@ aeilij.org.br com cópia para o meu (andreaviviana@ uol.com.br) OU emitir boleto no site acessando seu perfil e mandando comprovante para os emails informados.


ATENÇÃO ASSOCIADOS DO RIO DE JANEIRO:
há anos estamos buscando uma opção de plano de saúde para nossos associados.
Em função de não existir vínculo empregatício entre os associados e o CNPJ da AEILIJ, não temos como negociar um plano de Pessoa Jurídica.
No entanto, surgiu a possibilidade de obtermos um desconto na qualidade de "grupo" no Silvestre Saúde, que cobre Rio de Janeiro (capital), Niterói, São Gonçalo e Itaboaraí.
Para dar prosseguimento à possível negociação, preciso saber: 
se há associados interessados do Rio e arredores em obter/mudar plano de saúde
se sim, idade e gênero de titular e dependentes (só podem ser cônjuges e filhos)

Saudações aeilijianas da tesoureira
Andrea Viviana Taubman

quarta-feira, 22 de março de 2017

RS: Nova associada: Eleonora Medeiros

ELEONORA MEDEIROS

1) Fale um pouco sobre o começo do seu trabalho com LIJ.
Quando criança, sempre preferi ler, rabiscar e escrever a brincar na rua. Meu fascínio pela leitura e seu processo começou no Curso de Magistério onde como aluna, mediadora de leitura, encantei-me com o poder que os livros têm sobre a infância. No curso, havia uma professora de LIJ que acreditava no meu potencial e encorajou-me a aprofundar os estudos nesta área, procurei também apoio em cursos de teatro e jogos dramáticos. Formada em Pedagogia e ministrando aulas especializadas durante 20 anos, pude aprofundar estudos  sobre o interesse infantil no universo literário.  Aos poucos fui construindo uma vasta biblioteca pessoal e colecionando histórias na alma para espalhar e repartir com quem encontrava no caminho. O desejo de difundir a literatura infantil levou-me à iniciativa de abrir uma livraria especializada em LIJ que recebia publico infantil para audição de histórias e poesias, saraus, oficinas, leitura e aquisição de livros para que cada um pudesse fazer a sua biblioteca pessoal. No meio de tantos contos que chegavam às minhas mãos, minhas narrativas começaram a brotar. Uma pequena editora interessou-se e fizemos uma bela parceria. Gosto de pensar que a Literatura infantil é um passarinho, que procura fazer ninho no coração das crianças. Hoje viajo a convite, levando histórias para que elas façam novos ninhos.

2) Três livros seus para quem não te conhece.
A história que escrevi em 1998, "Uma colcha para cobrir o mundo", ilustrada  por Dane D'Angeli, é uma viagem no universo mágico da relação entre uma neta e sua avó. O livro evoca os laços entre nossos familiares e os cuidados que devemos ter com o ambiente que nos rodeia despertando o cuidado com a natureza e seus seres vivos. Um tema abordado com delicadeza, nestes tempos acelerados, onde tudo é urgente. Como faz falta sentar e apreciar o por do sol, colher frutas no pomar, refrescar os pés no riacho, fazer um cafuné no filho. São gestos simples, tão importantes e tão esquecido.
"Luzia  A gatinha pretinha" foi meu maior desafio. O processo de criação desabrochou em mim diferentes veias artísticas. Ilustrei o livro em parceria com minha filha mais velha Paola Medeiros. Compus 10 canções e melodias com  Cesar Santos, cantor e compositor, e gravei as canções do CD que acompanham o livro. Produzi um musical com a  professora de ballet  Lenise Ebre e suas 38 alunas. O musical do livro foi apresentado em 2 sessões no Teatro Rosalina Pandolfo, em Uruguaiana e no Centro Cultural em Alegrete. A história é meu carro chefe! Sou convidada a levar Luzia a muitas feiras de livros escolares pelo estado do RS e também a feiras de âmbito municipal, estadual e nacional, como foi o caso da Feira de Resende – FLIR – e a de Joinville. Devo muito a esta gatinha!  Aqui meu foco era a aceitação das diferenças e a quebra de tabus e superstições.
"A Princesa escabelada e o galante vendedor de pentes” escrevi na época em que li os livros de Diana Corso e desejei aventurar-me  no mundo dos contos de fadas. O resultado foi um livro divertido para crianças e pré-adolescentes, que estão em um momento de descobertas e mudanças. Narra a aventura de dois personagens que desejam ser quem realmente são, mas batem de frente com  as expectativas do mundo em relação a eles.  

3) Quais os seus planos para os próximos cinco anos?
Pretendo seguir estudando e viajando, criando e publicando. O estudo aprofundado da palavra é algo que desejo muito, através de cursos de escrita criativa, especializações, mestrado, doutorado. É um sonho de consumo distante para quem mora no interior e não tem acesso a grandes instituições. Por isso, tenho metas e planos que pretendo realizar em um futuro a longo prazo. Nos próximos cinco anos pretendo continuar estudando livros especializados, da área da literatura e aprendendo com pessoas que encontro ao levar as histórias. Planejar o futuro é algo incrível, pois estes planos passam pelo imaginário e assim podemos ser o que sonhamos ser. Eu sou muito feliz, sou o que sonhei ser até aqui. Levo para minha comunidade e por onde ando a minha contribuição, as minhas histórias e aquelas que recolho pelo caminho em minhas andanças. 


Foto: Arquivo pessoal